POLÍCIA ▸ ABORTO

Pai estuprador vai responder por jogar feto após filha abortar em bairro de Cuiabá

C.P.G, 39 anos, suspeito de estuprar e engravidar a própria filha foi autuado por provocar aborto  sem consentimento e também ocultação de cadáver após ser preso no final da manhã desta terça-feira (17), em Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, como o estupro ocorreu anteriormente será apurado em inquérito policial na Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – DEDDICA.

A prisão foi efetuada pela Polícia Militar, que conduziu o suspeito até o plantão metropolitano, onde na unidade policial o suspeito foi autuado no crime de provocar aborto sem consentimento - artigo 125 do Código Penal e também no artigo 211 - Destruir, subtrair ou ocultar cadáver ou parte dele: Pena - reclusão, de um a três anos, e multa.

O procedimento será ainda encaminhado à Deddica, que somente tomou conhecimento dessa situação através do tio, irmão do suspeito, da menina. A vítima de 11 anos deve ser ouvida pela equipe psicossocial, assim que estiver em condições físicas e de saúde.

Feto na Sacola 

C.P.G, 39 anos, desapareceu com o feto momentos antes de ser preso pela polícia, na manhã desta quarta-feira (17), no Residencial Coxipó, em Cuiabá. De acordo com boletim de ocorrência, o suspeito colocou o feto numa sacola e saiu de motocicleta da casa, logo após ser descoberto pela mãe da menina. “Quando chegou à delegacia já estava sem o feto e indagado ele não esclareceu o que fez com o feto”, descreve o documento.

Entenda o caso 

A Polícia Militar foi acionada para deslocar até a casa da menina, após funcionário da Unidade de Saúde relatar que uma menina de 11 anos tria chegado a unidade com um quadro de aborto. No local, a mãe da menina relatou o pai seria o suspeito de ter estuprado a filha. 

Durante as diligências, o suspeito se apresentou na delegacia sem o feto e não relatou o que teria feito. Ele confessou que manteve relação sexual com a própria filha desde 2017.

O Conselho Tutelar foi acionado e realiza o acompanhamento do caso. O suspeito foi mantido preso na Central de Flagrantes.

A vítima foi encaminhada ao Hospital Júlio Muller para ser medicada, com o acompanhamento do conselheiro.

Comentários