POLÍTICA ▸ RESPOSTA

Nem cachorro gosta desse cidadão, responde Jayme Campos a Silvio Fávero

O senador Jayme Campos (DEM) se negou a rebater a série de críticas feitas pelo deputado estadual Silvio Fávero (PSL), por conta de declarações do democrata com relação a uma possível indicação do ministro Sérgio Moro ao Supremo Tribunal Federal (STF) e do voto na comissão que analisou a MP 870/2019, que trata da reforma ministerial do Governo Bolsonaro. Ao ser questionado sobre o assunto, Jayme disse que o pesselista é insignificante no cenário político e disse que nem cachorros gostam do parlamentar, em referência ao acidente sofrido pelo deputado em março deste ano, quando foi mordido por um cachorro.

“Silvio é desse tamanhinho pra mim”, disse Jayme, sinalizando um movimento de pequenez com as mãos. “Não vou responder pra Silvio. O dia que eu perder tempo respondendo Silvio Fávero, acabou meu mandato”, completou.

Após a fala, Jayme se distanciou dos jornalistas. Momentos depois, se dirigiu à reportagem do Olhar Direto e continuou: “É uma perda de tempo falar sobre Silvio Fávero, nem cachorro gosta desse cidadão. Essa é minha resposta”.

A tensão entre os dois parlamentares, até onde se sabe, surgiu após a nota divulgada pela assessoria de imprensa de Silvio Fávero, na qual o deputado diz que Jayme transformou declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em “mero palanque de revanchismo e frustração política, estritamente pessoal”.

Jayme Campos faz parte da base governista, mas vem reclamando da articulação de Bolsonaro no Congresso, classificada por ele como uma “política chantagista”, por conta do condicionamento de políticas públicas à aprovação da Reforma da Previdência.

O senador também faz parte da comissão mista que analisa a MP 870/2019, que trata da reforma ministerial, e votou contra a ida do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Justiça. O ato foi considerado uma derrota para o Governo.

Esta semana, ao ser questionado sobre a confirmação, por parte de Bolsonaro, de que iria indicar o ministro Sérgio Moro para vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), Jayme disse que o ex-juiz “virou pó”.

“Não são práticas republicanas. O Moro veio a troco de cargo de ministro. Este é um juiz sério? Sério coisa nenhuma. Ele conseguiu passar para o Brasil que ele é o paladino, que é honrado e honesto. Criaram uma figura, uma simbologia, que é o bacanão, mas não é”, declarou o democrata.

Comentários