ECONOMIA ▸ PECUÁRIA

Nelore do Brasil discute o fortalecimento da cadeia produtiva da carne

Com a proposta de ampliar o conhecimento a respeito da marca Nelore, que representa mais de 80% do rebanho mato-grossense de 30 milhões de animais, o maior do país, as Associações dos Criadores Nelore do Brasil (ACNB) e de Mato Grosso (Nelore MT) participaram da Acricorte 2019, realizado na última semana (9 e 10), no Cenarium Rural, em Cuiabá.

Para o presidente da ACNMT, Breno Molina, que é pecuarista na região de Poconé, a troca de informações entre os integrantes da cadeia produtiva da carne é fundamental para planejar o futuro da atividade em Mato Grosso. Ele frisa que a produção vem sendo impactada ao longo dos últimos 10 anos pela falta de logística, pesada carga tributária e crise econômica.

Atualmente são 100 mil produtores no Estado, dos quais 80% deles possuem até 290 cabeças, ou seja, são pequenos produtores que estão com sua atividade em declínio. “Não temos qualquer aumento no valor da arroba comercializada faz muito tempo, em contrapartida, temos tido reajustes constantes em todos os encargos que envolvem a produção, sejam trabalhistas ou de insumos”.

O gerente executivo da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), Andre Locateli, avalia como uma oportunidade ímpar de reunir todos os elos da cadeia e disseminar mais informações e tecnologias. “Vivemos um momento de evolução contínua e Mato Grosso é fundamental nesse processo, por ser o maior produtor e ter maior possibilidade de expansão. E a pecuária Nelore é muito forte no Brasil porque produz carne de qualidade, com animais fortes, resistentes e uma criação em harmonia com a natureza e o bem-estar animal”.

Comentários