ECONOMIA ▸ BAIXA

Mesmo após anúncio de redução, consumidor não vê diferença e preço da gasolina chega a R$ 5

A Petrobras anunciou que reduzirá o preço médio da gasolina nas refinarias em 0,48% a partir desta quinta-feira (8). Desde o mês de setembro o preço da gasolina, nas refinarias, vem caindo, com queda mais acentuada em outubro.

No entanto, nos postos de combustíveis em Mato Grosso o preço do combustível tem permanecido estável. A Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis) afirmou que esta redução não acontece na mesma velocidade ao consumidor.

Esta já é a terceira redução no preço da gasolina nas refinarias apenas nesta semana. A maior queda, porém, ocorreu no mês de outubro, que no dia 2 estava com o preço em R$ 2,2159 e no dia 31 já estava em R$ 1,8623. Isso nas refinarias.

Esta diferença, no entanto, não foi percebida pelo consumidor mato-grossense. De acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Anp), nas últimas quatro semanas o preço permaneceu praticamente estável.

A Anp fez o levantamento dos dados de sete municípios de Mato Grosso. Em Alta Floresta, onde a gasolina é mais cara, em 7 de outubro o preço ao consumidor estava em R$ 5,186 e no dia 3 de novembro estava em R$ 5,188.

O segundo município com a gasolina mais cara é Sorriso, que no dia 7 de outubro estava com preço em R$ 5,073 e no dia 3 de novembro R$ 5,078. Já em Cuiabá o preço estava em 4,771 no dia 7 de outubro e R$ 4,781 no dia 3 de novembro.

Também há dados dos municípios de Rondonópolis (com preço de R$ 4,895 no dia 7/10 e R$ 4,903 no dia 3/11), Sinop (com preço de R$ 4,898 no dia 7/10 e R$ 4,925 no dia 3/11), Cáceres (com preço de R$ 4,785 no dia 7/10 e R$ 4,805 no dia 3/11) e Várzea Grande (com preço de R$ 4,758 no dia 7/10 e R$ 4,730 no dia 3/11).

Por meio de uma nota a Fecombustíveis afirmou que o repasse deste menor custo não acontece na mesma velocidade e proporção nas bombas. Eles também afirmaram que cabe a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não as quedas ao consumidor, de acordo com suas estruturas de custo.

Comentários