ESPORTES ▸ PAULISTA

Federação vê acertos na final do Paulistão, mas quer mais agilidade do VAR

O departamento de arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF) avaliou positivamente o uso do árbitro de vídeo (VAR) em São Paulo 0 x 0 Corinthians, primeira partida da final do Estadual, na tarde deste domingo, no Morumbi. Mas a FPF também admite que as decisões precisam ser tomadas com mais agilidade.

O VAR foi usado em dois lances: no primeiro tempo, um chute do são-paulino Everton Felipe bateu na mão do volante corintiano Ralf, que no momento recolhia o braço para junto ao corpo. A checagem do lance durou dois minutos e meio até a conclusão de que não houve pênalti.

Nos acréscimos do segundo tempo, num ataque do Corinthians, houve um puxão de Hudson no zagueiro Henrique, mas o mesmo lance também teve um impedimento de Vágner Love, que acabou marcado pela arbitragem. Neste caso, o VAR levou quatro minutos para chegar a uma decisão.

Na Federação, a avaliação é de que "é melhor demorar para acertar do que errar com pressa". Mesmo assim, houve incômodo com a demora. E o trabalho no próximos dias será para reduzir o tempo nas tomadas de decisão, sobretudo melhorando a comunicação entre os árbitros da cabine do VAR e os operadores de vídeo.

Os técnicos de São Paulo e Corinthians elogiaram a atuação do VAR durante o primeiro jogo da final do Paulistão.

– O lance do Ralf eu não vi, não tenho como avaliar, mas no lance do segundo jogo, o próprio Vagner Love disse internamente que estava em impedimento. Então, até pelas palavras dos jogadores, está tudo certo – disse Fábio Carille.

Cuca disse que é preciso "ter paciência" com a tecnologia, mas também chamou atenção para a demora nas decisões.

– O VAR veio para corrigir injustiças, como ficou claro em outros jogos. Mas eles precisam ser um pouquinho mais rápidos nisso. Porque, se falta um minuto para acabar o jogo e você fica quatro minutos parado, aquele um minuto é engolido.

Comentários