POLÍTICA ▸ TRANSFORMAÇÃO

Empresário nega pressão e diz que rompeu com Taques por estar farto de promessas

O empresário Aldo Locatelli, ex-aliado do governador Pedro Taques (PSDB), publicou uma nota onde pede para que o chefe do executivo estadual e seu secretário de Governo, Domingos Sávio, apontem quem são os antigos apoiadores que queriam transformá-lo em fantoche, como declarado pelos dois recentemente.

Locatelli pontuou que as declarações surgem como ‘indiretas’ para quem apoiou o governador e que posteriormente assinaram um documento em que citam motivos para não voltarem a apoiá-lo nas eleições deste ano. Entre eles, está o próprio empresário. “Como empresário que tenho um nome a zelar, fui uma das pessoas que, seguindo as regras eleitorais, ajudei Taques nas campanhas para as eleições de 2010 e 2014. E depois, de muito pedir em vão por demandas que são da sociedade como a redução do ICMS sobre o óleo diesel e a criação da delegacia especializada em combustíveis, assinei a carta e assumo sem nenhum temor”, afirmou.

O empresário inclusive citou que algumas de suas demandas acabaram sendo atendidas posteriormente, até mesmo depois de ele ter assinado a tal carta. “Coincidência ou não, o Diário Oficial desta segunda-feira (25) trouxe, por meio de Decreto Nº 1.558, a criação da Delegacia Especializada com o nome de Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor e Repressão a Fraudes em Combustíveis. Somente neste governo, são quase 4 anos de solicitações.  O governador chegou a dizer que teria de montar um projeto de lei a passar pela Assembleia Legislativa e agora eis que surge o decreto”, afirmou. 

Aldo Locatelli afirmou ainda que é conveniente que Taques e Domingos Sávio afirmem quem são os ex-aliados que teriam tentado ‘transformar o governador em fantoche’. O empresário ainda afirmou que o governador seria muito bom em prometer, mas que não cumpre o que fala.

“Com relação às declarações, é preciso que Taques dê nomes aos bois, pois fica implícito que ex-aliados como eu fizeram algo de errado ou imoral. Falando por mim, eu acredito que esta nota é oportuna, pois também quero alertar os contribuintes. Pedro não teve a coragem de reduzir o ICMS, uma de suas promessas de campanhas. De promessas, todos estão fartos”, completou.

Confira a íntegra da nota de Aldo Locatelli:

Eu, Aldo Locatelli, empresário instalado em Mato Grosso, conclamo o governador Pedro Taques e o seu secretário de Governo Domingos Sávio, a apontarem quem são os ex-aliados interessados em transformar o chefe do Executivo num fantoche e fazer de Mato Grosso uma terra sem lei. Não sei exatamente de quem estão falando, mas as declarações surgem como indiretas para as pessoas que assinaram uma carta com motivos para não votar no atual governador à reeleição. Eu fui um deles.

Como empresário que tenho um nome a zelar, fui uma das pessoas que, seguindo as regras eleitorais, ajudei Taques nas campanhas para as eleições de 2010 e 2014. E depois, de muito pedir em vão por demandas que são da sociedade como a redução do ICMS sobre o óleo diesel e a criação da delegacia especializada em combustíveis, assinei a carta e assumo sem nenhum temor.

Coincidência ou não, o Diário Oficial desta segunda-feira (25) trouxe, por meio de Decreto Nº 1.558, a criação da Delegacia Especializada com o nome de Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor e Repressão a Fraudes em Combustíveis. Somente neste governo, são quase 4 anos de solicitações.  O governador chegou a dizer que teria de montar um projeto de lei a passar pela Assembleia Legislativa e agora ei que surge o decreto.  

Com relação às declarações, é preciso que Taques dê nomes aos bois, pois fica implícito que ex-aliados como eu fizeram algo de errado ou imoral. Falando por mim, eu acredito que esta nota é oportuna, pois também quero alertar os contribuintes. Pedro não teve a coragem de reduzir o ICMS, uma de suas promessas de campanhas. De promessas, todos estão fartos.

Nos fez acreditar que ele iria ter peito para atender pendências que não são apenas da revenda de combustíveis. Contudo, enquanto o setor de revenda pediu a revisão do ICMS e a Petrobras vinha aumentando os preços nas refinarias, o Estado seguiu aumentando a base de cálculo do imposto. 

Além disso, foram várias as situações de entra e sai de secretários e com alguns presos, inclusive. Qual a segurança que ex-aliados como eu têm? Nós é que parecemos fantoches que a cada vez que vão ao Palácio Paiaguás saem de lá com a sensação de terem sidos enganados por alguém que é bom em prometer e delegar, mas que no final nada se resolve, assim como nos outros governos.

Falando por mim, não passei por cima de nenhum direito, mas, sim, lutei por demandas que são do contribuinte em geral e nunca obtive retorno.

Aldo Locatelli

Comentários