POLÍTICA ▸ VERGONHA

Em votos, Taques perde para nulos, abstenções e cinco candidatos ao Senado em MT

Atual governador e candidato derrotado nas eleições deste ano, o governador Pedro Taques (PSDB) viu sua tentativa de conquistar o voto de indecisos ir por água abaixo. Além de ficar atrás de Wellington Fagundes (PR) e Mauro Mendes (DEM) – este último eleito pela maioria dos mato-grossenses – o atual chefe do Executivo ainda ficou atrás do número de abstenções e de votos nulos.

No total, mato-grossense teve quase 572 mil abstenções – pessoas que não compareceram para escolher um candidato. O número representa um quarto de todos os eleitores do Estado. O número de votos nulos (quase 230 mil) também superou a quantidade recebida por Pedro Taques (272 mil votos).

Nos últimos dias antes do pleito, Pedro Taques foi às ruas com seus arrastões na tentativa de conseguir conquistar o voto dos indecisos, que poderia mudar o cenário que se vislumbrava. Porém, a tentativa acabou por não ter resultado.
 
Ainda conforme a Justiça Eleitoral, mais de 96 mil pessoas votaram em branco nestas eleições. Mauro Mendes, vencedor da disputa, teve o apoio de 840 mil mato-grossenses e ficou próximo dos 59% dos votos válidos.
 
A juíza Selma Arruda (PSL), que era aliada de Pedro Taques e rachou com o grupo após o início da campanha, conseguiu quase três vezes mais votos que o tucano. Selma terminou com mias de 678 mil votos. Além da magistrada aposentada, outros quatro candidatos ao Senado tiveram mais votos: Jaume Campos (490 mil); Fávaro (435 mil); Adilton Sachetti (333 mil) e Nilson Leitão (330 mil).
 
Apesar de Mato Grosso ter resolvido a sua eleição em primeiro turno, os eleitores precisarão retornar no próximo dia 28 de outubro, para escolher entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), que seguem disputando no segundo turno o cargo de presidente da República.

Comentários