ECONOMIA ▸ ALTA

Dólar fecha em alta após se aproximar de R$ 3,60, com tensão entre EUA e Irã

O dólar fechou em alta nesta terça-feira (8), voltando a fechar no maior valor desde junho de 2016, diante da tensão nos mercados externos após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar a retirada do país do acordo nuclear firmado com o Irã, aumentando os riscos geopolíticos e que podem influenciar o fluxo de capital no mundo.

A moeda norte-americana subiu 0,49% sobre o real, vendida a R$ 3,5705, após chegar a R$ 3,5932 na máxima do dia. Veja mais cotações. Já o dólar turismo era vendido a R$ 3,72 (alta de 0,4% sobre o dia anterior), mas chegou a ser vendido a R$ 3,74 nesta terça.

Cenário externo
"Trump fez um discurso duro, mas sinalizou que quer um novo acordo", afirmou à Reuters o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta tarde que retomará sanções econômicas contra o Irã e retirará seu país do acordo internacional concebido para impedir Teerã de obter uma bomba nuclear. Trump disse ainda que estava pronto para negociar novo acordo com o Irã.

As sanções econômicas ao Irã podem afetar a produção e exportação de petróleo do país, afetando os preços da commodity. Preços mais caros de petróleo impactam a inflação e podem levar o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, a elevar mais do que o esperado os juros no país.

O mercado monitora pistas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos porque, com taxas mais altas, o país se tornaria mais atraente para investimentos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil, motivando assim uma tendência de alta do dólar em relação ao real.

Comentários