Deputado eleito preso pela PF vai ser investigado

O deputado federal eleito Neri Geller (PP) será alvo de um processo da Comissão de Ética Pública da Presidência da República (CEP). Ele é alvo da Operação Capitu, da Polícia Federal, e chegou a ser preso, mas conseguiu liberdade por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A Comissão de Ética da Presidência irá apurar a conduta dele e do ex-ministro e atual vice-governador de Minas Gerais Antônio Andrade. Geller foi ministro da Agricultura entre março de 2014 e janeiro de 2015.

Ele é investigado pelo suposto recebimento de R$ 250 mil em propinas para beneficiar o grupo J&F, que controla a JBS S/A, empresa do ramo de proteína animal. Enquanto ministro, Geller teria expedido atos normativos, determinando a regulamentação da exportação de despojos; a proibição do uso da ivermectina de longa duração; e a federalização das inspeções de frigoríficos.

Comentários