POLÍTICA ▸ MÁFIA NO DETRAN

Deputado chefe de esquema terá pedido de liberdade julgado hoje

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) retomam nesta quinta-feira (14) o julgamento do recurso solicitado pela defesa do deputado estadual Mauro Savi (DEM) na tentativa de reverter a prisão preventiva do parlamentar, que está preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), desde o dia 9 de maio, após a deflagração da Operação Bônus, relativa à segunda fase da Operação Bereré.

Na última sessão, 16 dos 30 desembargadores que compõem o Pleno votaram contra a soltura do deputado. O julgamento do recurso não seguiu devido ao pedido de vista do desembargador Marcos Machado.

No agravo, a defesa alega que Savi não participou dos atos ilícitos denunciados pelo Ministério Público do Estado (MPE) e que há "incongruência nas afirmações do órgão acusador, que vieram assentadas nos depoimentos dos colaboradores premiados".

A defesa ainda afirma que não há motivação para a manutenção da prisão, porque não há possibilidade de ele interferir nas investigações.

No mérito, o desembargador José Zuquim Nogueira, relator do pedido, defendeu a necessidade da manutenção, em razão de ainda persistirem os motivos que justificam a prisão do parlamentar.

Segundo investigações do MPE, o parlamentar seria o líder de uma organização que teria desviado dinheiro público por meio do contrato entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) com a EIG Mercados, antiga FDL, entre os anos de 2010 e 2015.

Outras tratativas

Nesta terça-feira (12), a ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do deputado. Além desse recurso, a ministra também é relatora do pedido de habeas corpus ingressado pela Assembleia Legislativa que ainda não foi julgado.

Comentários