ECONOMIA ▸ IMPORTAÇÃO

China aceita oferta de exportador de frango do Brasil para encerrar disputa, diz agência

O Ministério de Comércio da China aceitou uma proposta apresentada por exportadores brasileiros de carne de frango com o objetivo de encerrar uma disputa sobre dumping (venda de produtos a preços muito baixos). O país asiático é o segundo maior comprador da carne brasileira.

Em junho passado, o governo chinês impôs medidas antidumping temporárias sobre a importação de frango brasileiro por considerar que seus produtores sofrem concorrência desleal do país. O caso estava sendo investigado desde agosto de 2017.

Segundo a agência Reuters, a sócia do escritório MPA Trade Law, Claudia Marques, que representa os exportadores brasileiros, afirmou que a decisão chinesa de aceitar a oferta foi comunicada às partes pelo Ministério do Comércio por meio de um relatório.

O acordo, pelo qual se estabeleceriam preços mínimos para as vendas à China em troca do encerramento de uma investigação que começou em agosto de 2017, entrará em vigor até o próximo dia 18, de acordo com a advogada.

As ações da brasileira BRF, maior exportadora de frango do mundo, subiram 1,8%, para R$ 24,49 na segunda, uma máxima de mais de 6 meses, após a Reuters informar que o processo de dumping havia sido resolvido.

Nesta terça, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) anunciou que a Arábia Saudita, maior importador do frango brasileiro, barrou as vendas de 5 frigoríficos dos 30 que faziam comércio com a região.

O acordo
Em junho passado, a China determinou que importadores passassem a fazer um depósito de 18,8% e 38,4% do valor de suas comprar como uma forma temporária de compensar a suposta prática de dumping.

Em um esforço para resolver a disputa, exportadores brasileiros propuseram no mês passado que fosse estabelecido um preço mínimo de exportação e se comprometeram a vender frango à China por preços não inferiores aos previstos no acordo. O processo é conhecido como compromisso de preço mínimo.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) define tal compromisso como um esforço para "elevar o preço de exportação de um produto para evitar a possibilidade de imposição de uma tarifa antidumping."

A ABPA disse na última segunda, à Reuters, que ainda não tinha tido acesso à decisão final do Ministério do Comércio chinês em relação à proposta das empresas do setor.

Comentários