POLÍCIA ▸ MARIA DA PENHA

Assessor parlamentar é acusado de agredir e esganar a ex-companheira

Um assessor parlamentar da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, de 36 anos, foi acusado de agredir e esganar a ex-companheira, de 23 anos, na noite dessa quarta-feira (6). A vítima afirma que já vinha sendo agredida há seis meses e que tinha ido à casa do ex apenas para pegar suas coisas.

A Polícia Militar foi acionada em um posto de combustível, próximo ao local das supostas agressões, o Condomínio Riviera de France, situado no Bairro Bom Clima, em Cuiabá, onde a vítima estava aguardando a chegada da equipe.

Conforme o boletim de ocorrência, o casal rompeu o relacionamento há pouco tempo. Os dois teriam ficado juntos por um ano e oito meses, sendo quatro meses morando na mesma casa.

A vítima afirmou à Polícia Militar que vinha sofrendo agressões por parte do suspeito há seis meses e que teria um vídeo em que o assessor parlamentar aparece queimando pertences da filha dela, cuja idade não foi revelada.

Nessa quarta-feira, os dois combinaram que ela iria até a casa dele, onde o casal morava, para buscar seus pertences. Já no endereço, segundo ela, por motivo de ciúmes e cogitando que ela estava indo embora por outra pessoa, o ex-companheiro ficou agressivo.

Segundo o relato da jovem à polícia, o assessor parlamentar teria lhe dado socos no rosto e na cabeça e a esganado. No boletim consta que ela foi encontrada pela equipe militar com “lesões aparentes”.

A jovem afirmou ainda que o suspeito, em dias anteriores, a teria ameaçado de morte. Também que, durante as agressões dessa quarta-feira, ele foi até a sacada do prédio, gritou que ele é quem estava sendo agredido, voltou-se para ela e disse que “ninguém acreditaria que ele a tinha agredido, pois recorreria à ex-esposa, que é defensora pública”, consta no boletim de ocorrência.

Após as agressões, segundo a vítima, o suspeito saiu do prédio em seu carro, um Honda Fit preto.

Como a jovem estava machucada e o suspeito não foi encontrado, os militares a encaminharam para a Central de Flagrantes de Cuia

Comentários