NACIONAL ▸ JUSTIÇA

Agressor de Bolsonaro será transferido para presídio federal de Campo Grande

O homem responsável por dar uma facada no candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, será transferido para o presídio federal de Campo Grande (MS).

A transferência foi determinada pela Justiça Federal durante a audiência de custódia, na tarde desta sexta-feira (7).

Adélio Bispo foi preso pela Polícia Militar de Minas Gerais logo após Bolsonaro ser atacado em Juiz de Fora e, segundo a PM, Bispo confessou ser o autor da facada no candidato.

A Polícia Federal abriu um inquérito para investigar o caso e já indiciou Adélio Bispo por "atentado pessoal por inconformismo político".

Ataque a Bolsonaro
Bolsonaro levou uma facada enquanto participava de uma caminhada no centro de Juiz de Fora. Logo após o ataque, ele foi levado à Santa Casa de Misericórdia da cidade.

O hospital informou que ele deu entrada na emergência com uma "lesão por material perfurocortante na região do abdômen".

O candidato sofreu uma grave perfuração no intestino grosso.

Nesta sexta, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. No Twitter, o candidato disse que está bem e se recuperando.

Investigação
Além de Adélio Bispo, outras duas pessoas são investigadas pela Polícia Federal nesse caso, de acordo com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que não deu detalhes sobre as apurações.

O ministro evitou falar sobre qual seria a motivação do ataque. Jungmann afirmou que a PF está trabalhando com o setor de inteligência para reconstituição dos passos de Adélio Bispo e toda a rede de relacionamentos dele.

'A mando de Deus'
Em depoimento, Adélio Bispo afirmou que deu a facada em Jair Bolsonaro "a mando de Deus", segundo boletim de ocorrência.

Adélio também disse que agiu sozinho, sem ajuda de partido político ou empresa. Policiais federais consideraram o depoimento do suspeito como declarações de uma pessoa conturbada.

Comentários